quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Detalhamento do 3º Estudo do Mês de Outubro

MOCIDADE ESPÍRITA JOANNA DE ÂNGELIS

COMISSÃO DE ESTUDOS - COE

DETALHAMENTO DO 3º Estudo do Ciclo IV:

TEMA DO CICLO: O problema do ser, do destino e da dor

TEMA ESPECÍFICO DO ESTUDO: Vontade, Consciência e Livre-arbítrio

MÊS: Outubro

DATA: 17 de Outubro de 2009

ORADOR(A): Ana Paula Champs

ABORDAGEM:

Recomendações gerais:

  • Todos os nossos Detalhamentos (perguntas, citações, indicações de páginas, etc.) estão baseados na 17ª edição do livro O Problema do Ser, do Destino e da Dor (FEB). Portanto, se o (a) leitor (a) consultar outras edições, haverá diferenças na indicação das páginas.

  • Objetivo geral do estudo: Abordar as seguintes potências da alma: a vontade, a consciência (o sentido íntimo) e o livre-arbítrio.

VONTADE, CONSCIÊNCIA E LIVRE-ARBÍTRIO

XX – A Vontade:

  • Explique-nos sobre as duas esferas de ação e expressão da alma humana: (p.312)

    • Personalidade (o “eu”)

    • Sede da consciência / Templo de Deus em nós

  • Qual a influência da vontade sobre a matéria? (p.315)

  • É possível a supressão do sentimento da dor física? “Os hindus chegam também, com o emprego do que eles chamam a ‘hatha-yoga’, ou exercício da vontade, a suprimir em si o sentimento da dor física” (p.316)

XXI – A consciência. O sentido íntimo:

  • O que seria a “consciência” ou “sentido íntimo”?

  • Comente acerca do “sexto sentido”: o caso de Ella Hopkins (p.327)

  • Comente o caso extraordinário de Helen Keller (p.329 e ss.)

  • Qual o valor da prece “improvisada”? (p.341)

XXII – O livre-arbítrio:

  • Explique: “A noção de moralidade é inseparável da de liberdade” (p.342)

  • Como conciliar nosso livre-arbítrio com a presciência divina? Perante o conhecimento antecipado que Deus tem de todas as coisas, pode-se verdadeiramente afirmar a liberdade humana? (p.343 e 344)

  • Comente a importância no âmbito jurídico do livre-arbítrio, tendo como referência a frase: “O crime, diz Duclos, é sempre o resultado dum falso juízo” (p.347)

  • Explique a colocação: A intuição e os impulsos partidos da consciência profunda não constituem negação do livre-arbítrio. (p.348)

Bibliografia:

  • DENIS, Léon. O Problema do ser, do destino e da dor. FEB. 17ª edição.

Abraços Fraternos!



Nenhum comentário: